Portuguese English Spanish

N Notícias

Chefs nordestinos apresentam receitas com xique-xique e siri no terceiro dia do intercâmbio de Ecogastronomia em Sergipe

Com uma programação realizada por dois em Aracaju-SE, o “I Intercâmbio em Ecogastronomia Slow Food para os jovens dos projetos FIDA no Brasil”, realizou oficinas ministradas por três chefs de cozinha da região, abordando assunto que vão desde o uso de ingredientes da caatinga em pratos doces e salgados, a culinária genuinamente baiana e sergipana. O Intercâmbio é uma realização do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), através do Programa Semear Internacional, em parceria com o Movimento Slow Food.

Os 25 jovens beneficiários dos projetos FIDA no Brasil acompanharam a produção de pratos feitos pelos chefs Timóteo Domingos e Seichele Barbosa, de Sergipe; e Leila Carreiro, da Bahia. Foram produzidos pratos com ingredientes extraídos nas comunidades visitadas em campo nos dois primeiros dias do evento na região ribeirinha da foz do Rio São Francisco, no interior de Sergipe.

Após as aulas ministradas pelos chefs, os participantes puderam colocar a mão na massa e definir, junto com os profissionais outros pratos que seriam feitos com auxilio de todos. No final do dia, os participantes degustaram receitas como tapioca de siri, xique-xique recheado com queijo de cabra gratinado, e bolo de fubá de semente crioula com limão galego.

Nesta metodologia aplicada pelo Movimento Slow Food, foram priorizados produtos artesanais de qualidade especial, produzidos de forma que respeite tanto o meio ambiente quanto as pessoas responsáveis pela produção, os produtores. Durante as aulas ministradas no terceiro dia de evento, os participantes puderam conhecer o manejo de ingredientes tão peculiares, como também a possibilidade de substituí-los por produtos mais abundantes em suas regiões.

“Extraímos uma infinidade de ingredientes que encontramos em abundância na região no baixo São Francisco para mostrar a estes jovens que, assim como no interior de Sergipe, ingredientes ricos da região onde eles moram podem sim resultarem em receitas deliciosas, valorizando o local”, disse a coordenadora do Slow Food Nordeste, Revecca Tapie.

A programação contou ainda com uma oficina de culinária do sertão, ministrada pelo chef desenvolvidas pelo chef Timóteo Domingos, idealizador do Projeto Gastrotinga e autor do livro “O Chef do Sertão”, com receitas como coxinha de cacto, pizza de palma, bolo de casca de abóbora, doce de folha de umbuzeiro. A chef Leila Carreiro apresentará pratos da culinária baiana e a chef Seichele Barbosa abordará a gastronomia genuinamente sergipana.

“Chegamos a este último dia com o grande objetivo alcançado, que era justamente mostrar a estes jovens como as suas regiões são ricas em beleza, cultura e culinária. Com certeza teremos conhecimento sendo repassados a pessoas das mais diversas faixas etárias em todo o Nordeste”, completou a coordenadora do Semear Internacional, Fabiana Viterbo.