Portuguese English Spanish

N Notícias

SDR coordena intercâmbio de ovinocaprinocultura na BA

Criadores de cabras e ovelhas do Território Chapada Vale do Itaim e uma equipe do projeto Viva o Semiárido (PVSA), executado pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), participaram, durante toda esta semana, de um Intercâmbio com a Cooperativa Agroindustrial Pintadas (COOAP), localizada no Território Bacia do Jacuípe na Bahia. A ação teve como objetivo conhecer experiências exitosas da cadeia produtiva da ovinocaprinocultura relacionadas à organização, gestão, beneficiamento e comercialização dos produtos. Na oportunidade, o grupo também visitou o Frigorífico Campo do Gado, em Juazeiro.

A programação incluiu reuniões e visitas em cooperativas e frigoríficos, afim de conhecer instalações, cortes especiais de carnes e detalhes sobre a parceria com produtores e supermercados.

No início da visita técnica, o grupo participou de uma roda de conversa com representantes da Rede Pintadas e reuniões com a diretoria do Conselho Fiscal da COOAP, dirigentes e cooperados, visando tratar de aspectos observados durante as visitas, como as conquistas e desafios referentes à gestão e comercialização.

Além de 15 criadores do Território do Itaim, participaram também deste intercâmbio, criadores contemplados pelo PVSA de outros territórios do Piauí, acompanhados de equipe da SDR, composta pela coordenadora de desenvolvimento social e humano, Salete Ximenes, a consultora em associativismo, Jeosafira Rocha, o coordenador produtivo, Francisco Batista e o consultor Maurilo Oliveira.

Segundo o diretor do Viva o Semiárido, Francisco das Chagas Ribeiro, a ação é resultado da necessidade de criação da Cooperativa de Criadores de Caprinos e Ovinos no Vale da Chapada do Itaim, que já está em processo de organização, inclusive com o cadastramento dos principais criadores interessados e confirmada para ser oficialmente criada no dia 11 de novembro, em Betânia do Piauí. O gestor ressaltou que o intercambio em Pintadas, município que se destaca na criação de cabras e ovelhas, vai proporcionar uma experiência muito forte na área de comercialização em rede ,um sistema onde vários produtores se vincularam a uma cooperativa, que gerou um conjunto de cooperativas, de crédito, de produção e de comercialização.

“A SDR, através do PVSA, está desenvolvendo um conjunto de ações na região do Território do Vale do Itaim com objetivo de fortalecer, incrementar e apoiar as ações que incentivam a organização da cadeia da ovinocaprinocultura na região. O projeto já apoia várias associações daquela região e aprovou vários projetos produtivos principalmente nos municípios como Betânia, Jacobina, Acauã, Queimada Nova e Paulistana, mas também em todos os municípios do território”, disse.

Francisco das Chagas acrescentou que a central de associações vai trabalhar fortemente esta cadeia e aglutinar e receber todas as associações de ovinocaprinocultures do Vale do Itaim que aderirem à proposta da Cooperativa do Vale do Itaim (Coovita), que reunirá aproximadamente 430 cooperados, que irão formar o capital social da entidade. A previsão é de que a cooperativa seja criada oficialmente no dia 11 de novembro, na cidade de Betânia, onde já existe a Associação dos criadores de ovinos e caprinos do município de Betania do Piauí (Ascobetania), financiada pelo PVSA. Segundo a equipe do Viva o Semiárido, foi acertado que o projeto Semear Internacional, entidade ligada ao Fundo Internacional das Nações Unidas (Fida), vai prestar assessoria técnica à cooperativa durante todo o ano de 2018.

Para Mirionaldo Rodrigues, diretor da Ascobetânia, a participação da SDR foi fundamental para que a ideia da cooperativa acontecesse. “Essa cooperativa já era um sonho da Ascobetânia, que vinha sendo amadurecido.  A Ascobetania é parceira desta ideia, tanto que 90% dos sócios participarão da nova iniciativa. Hoje faço parte da comissão da criação deste empreendimento e vejo que a SDR tem uma participação essencial para a sua criação, dando todo o apoio logístico e através de consultoria, nos ajudando na criação desta iniciativa que promete melhorar ainda mais a região do Vale do Itaim. Já tínhamos produtos, e através do PVSA, essas cadeias produtivas começam a se organizar, e assim cada dia mais percebe-se que os produtos da agricultura familiar passam a ter um potencial mais forte, gerando emprego e renda no Estado do Piauí”, informou.

Segundo a Consultora da SDR, Jeosafira Rocha, todo o processo que antecede a constituição da Cooperativa Territorial no próximo mês teve total apoio da equipe do PVSA e envolveu desde maio, uma série de reuniões com membros da Unisol Brasil (Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários), da Ascobetania e da Caprinova (Associação de caprinos e ovinos de Queimada Nova) Nos encontros foram feitas mobilizações, discussões e capacitações com representantes de associações e criadores dos vários municípios, e a formação de uma comissão que elaborou a proposta do estatuto e realização de oficinas para discutir o funcionamento da cooperativa. Foi registrado ainda que no total existem 17 associações no Território com 700 ou mais criadores de ovinos e caprinos.

“Também já realizamos reunião com os parceiros institucionais e estamos elaborando um estudo de mercado, que deverá ser disponibilizado pelo consultor Maurilo até o final de novembro”. Concluiu Jeosafira Rocha.

O Secretário Francisco Limma, destacou que o Piauí tem um grande potencial nesta cadeia produtiva, com destaque para atender o mercado interno e se expandindo na comercialização para outros estados; que envolve 100 mil criadores em todo o estado, mas com um grande pólo de concentração na Serra da Capivara, Vale do Itaim, Vale do Guaribas, Carnaubais e aqui, no entorno de Teresina, com animais de maior qualidade e valor genético.  “Este é um momento importante, com um grupo de produtores agregando mais de 10 municípios do Vale do Itaim, constituindo uma cooperativa discutindo a implantação de uma estrutura de beneficiamento, abate e comercialização envolvendo um grupo forte de criadores, associações e discutindo a implantação de uma estrutura com uma equipe de técnicos e especialistas participando deste grande intercâmbio. Temos que observar que o Piauí tem uma tradição na pecuária e se destaca entre o segundo e o terceiro lugare, com o maior rebanho no Brasil”, pontuou o secretário.

O gestor disse ainda que outra realidade que deve ser observada, é que o consumidor está mais exigente, procurando uma carne com mais qualidade, em outro formato de supermercado e quer adquirir o produto com mais facilidade. Por isso Limma ressaltou que o estado tem que melhorar cada vez mais no aparato tecnológico e na comercialização e investir mais no setor, tema recorrente nas discussões nas câmaras setoriais e que tem o apoio do Governador Wellington Dias.

Autoria: Edna Maciel