Portuguese English Spanish

N Notícias

Projeto Dom Távora, em Sergipe, cria aplicativo para facilitar gestão dos Planos de Investimentos Produtivos

A Unidade Gestora do Dom Távora, projeto apoiado pelo FIDA em Sergipe, apresentou na última sexta-feira (16) um aplicativo que estará à disposição dos técnicos para facilitar o acesso às informações dos Planos de Investimentos apresentados pelas comunidades. O programa cadastrado na web como dt-sergipe.com.br foi desenvolvido internamente, com autoria do consultor do PNUD, Osvaldo Kazumi Asanuma, que contribuiu com a arquitetura e conteúdo, e do técnico em informática da Pronese, Marcos Sérgio Vieira, como desenvolvedor do programa na estrutura digital para web.

O coordenador geral do Projeto Dom Távora, Delmo Naziazeno, disse que o ‘aplicativo digital’ será mais uma ferramenta de gestão, facilitando e reduzindo o tempo de execução de uma tarefa pelo usuário. “O Projeto tem crescido muito nos últimos dois anos, em relação ao número de propostas apresentadas pelas comunidades interessadas em acessarem aos recursos financeiros para implementação de Planos de Negócios Comunitários”, destacou.

O consultor Osvaldo Kazumi diz que uma das maiores vantagens é evitar a manipulação de papel. “Nós temos projetos que acumulam cerca de 300 páginas de papel, esses volumes dificultam o trabalho dos técnicos em campo, porque precisam levar três ou quatro volumes destes projetos para o interior. Com o aplicativo do Dom Távora no celular, tablete ou notebook temos toda a informação em apenas duas telas, tornando ágil o acesso à informação em qualquer ambiente”.

Osvaldo disse, ainda, que o programa tem os objetivos específicos de: armazenar de forma digital e segura todos os dados e informações de cada Plano de Investimento, constituindo um acervo do Projeto Dom Távora; reduzir ou proteger a documentação contra os riscos, perigos ou perdas de informações devido aos eventos inesperados como incêndio, furto e fraudes do processo; instaurar suporte para a gestão de documentos.

“É importante informar que o programa atende aos dispositivos da Lei Federal nº 13.019, de 31/07/2014, que trata de normas gerais para parcerias entre a administração pública e organizações da sociedade civil”, acrescentou Osvaldo Kazumi.