EnglishPortugueseSpanish

N Notícias

Projeto Dom Távora, apoiado pelo FIDA em Sergipe, finaliza reforma do Centro de Artesanato de Santana do São Francisco

Os artesãos e a população de Santana do São Francisco receberam o Centro Comercial de Artesanato do município totalmente reformado. A obra foi realizada a partir de um investimento de cerca R$ 279 mil, com recursos do Projeto Dom Távora, realizado pelo governo de Sergipe em parceria com o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA). O objetivo é fortalecer a comunidade de artesãos de cerâmica do município, que têm na atividade sua principal fonte de renda. As instalações foram inauguradas e entregues à população na última quarta-feira, 14, com a presença do secretário de Estado da Agricultura, André Bomfim, representando o governador Belivaldo Chagas; do prefeito Gilson Guimarães Barrozo Júnior; do diretor técnico da Emdagro, Esmeraldo Leal; de secretários, vereadores e artesãos do município.

Para o secretário André Bomfim, além da comercialização, o novo Centro de Artesanato traz outras possibilidades de convivência e capacitação. “A reconstrução do Centro conta com espaço de exposição e comercialização, espaço de convivência e integração social, ateliê e espaço de tecnologia da cerâmica, onde serão realizados eventos e cursos de capacitação para artesãos, sala de estudo, leitura e tecnologia digital”, detalhou o gestor. Na sua avaliação, além de fortalecer a cadeia produtiva do artesanato em barro, o novo espaço vai incrementar a atividade do turismo. “Somando a qualidade do artesanato com a beleza desse espaço cultural, não tenho dúvidas de que será um dos pontos de parada na rota do turismo no Baixo São Francisco”, afirmou André.

Segundo o presidente da Associação dos Artesãos, Edson Marques Barreto, a reestruturação do Centro de Artesanato é um presente para o município e a região como um todo. “A entrega desse centro representa um presente para o nosso município, que tem 70% da população envolvida com a produção e venda do artesanato. Essa obra não só embeleza nossa cidade, mas também nos dá orgulho de trabalhar na atividade artesanal, que é nossa maior fonte de renda”, afirmou.

Para batizar o Centro Comercial, a associação escolheu o nome de Edilson Oliveira Fortes, em homenagem ao artesão que lutou pela construção do espaço e pela defesa do artesanato local. Carmélia Fortes, filha do homenageado, demonstrou a satisfação da família pelo reconhecimento. “O sentimento da família é de alegria e vitória. Nós estamos muito honradas pelo reconhecimento, que eterniza o nome de meu pai, um homem que sonhou e lutou por um espaço como esse e pelo artesanato de Santana”, pontuou.

José Ramalho, artesão

Para o artesão José Ramalho, 69 anos, o Centro e vai possibilitar o incremento das vendas. “Faz mais de 20 anos que esse Centro de Aartesanato foi construído e nunca tinha tido uma reforma para ficar com essa qualidade. Ficou muito lindo. Não é de hoje que a gente vive do artesanato e a tendência agora é melhorar. Venho de uma família com várias gerações trabalhando com a arte do barro, e sabemos que dá para sustentar a família. Eu, por exemplo, produzo de 150 a 200 peças por semana, que são vendidas, em média, a R$ 30”, conta.

O secretário de Turismo do município, Luiz Monteiro, confirmou a importância da obra também para o turismo da região. “Para nós, é um momento de gratidão e êxito ver o anseio atendido pelo governo do Estado. Nós, de Santana, que somos conhecidos como o celeiro do artesanato em cerâmica, ou artesanato de Carrapicho, ficamos muito gratos. Esse é um legado que fica para os artesãos e para o turismo da região, porque representa um setor integrado à cadeia econômica do turismo regional. A melhoria do ambiente e do produto artesanal fortalece e qualifica o turismo”.

Segundo o coordenador geral do Projeto Dom Távora, Gismário Nobre, só em Santana do São Francisco o Projeto Dom Távora já investiu R$ 1.173.782,00. “Ao todo, foram aplicados R$ 9,1 milhões em sete municípios do Baixo São Francisco, em ações produtivas nas áreas da piscicultura, artesanato e turismo rural, principalmente”, destacou

Reportagem e Fotos: SECOM/Governo de Sergipe