EnglishPortugueseSpanish

N Notícias

Investimentos do Projeto Paulo Freire, apoiado pelo FIDA no Ceará, chegam a R$ 40 milhões em cidades com baixo IDH no interior do Estado

O Governo do Ceará, através da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), investiu R$ 40.383,847,82 em desenvolvimento de capacidades produtivas rurais às famílias de agricultores por meio do Projeto Paulo Freire. Em parceria com o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e entidades executoras foram contemplados 31 municípios com menor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) visando acesso à estrutura básica produtiva de negócios rurais e acesso aos mercados, gerando oportunidades de trabalho e renda no campo.

Neste ano foram elaborados 588 projetos produtivos, beneficiando diretamente 17.606 famílias de agricultores considerados “pobres” e “extremamente pobres” nas atividades de avicultura, caprinocultura, ovinocultura, mandiocultura, fruticultura, suinocultura, apicultura, quintais produtivos, biodigestores, reúso de água cinza, olericultura, artesanato beneficiamento entre outros. Destes, encontram-se em execução em 526 convênios no valor de R$ 40 milhões de um total de R$ 100 milhões a investir.

Segurança Hídrica

A SDA implantou ainda 1.073 cisternas para consumo humano (primeira água) das 1209 contratadas para este ano, além de outras 21 cisternas escolares. Foram obtidas três Estações de Tratamento de Água (ETA) para garantir o abastecimento às famílias atendidas pelo projeto, com objetivo de permitir que famílias disponham de água potável até, pelo menos, o início da próxima quadra chuvosa.

A expectativa é de que em 2019 sejam implantadas mais 4 mil cisternas de placas e 30 escolares em 600 comunidades. As entidades executoras CEALTRU – Centro de Estudos e Assistência as Lutas do/a Trabalhador/a, CETRA – Centro de Estudos do Trabalhado e Assessoria ao Trabalhador, Cáritas Diocesana de Crateús, ESPLAR – Centro de Pesquisa e Assessoria Esplar, IAC – Instituto Antônio Conselheiro, Instituto Flor do Piqui e ONG CACTUS já mobilizam e capacitam beneficiários que após participarem de oficinas sobre como usar corretamente os recursos hídricos o/as técnico/as das entidades fazem medição do terreno, entrega de material e construção das cisternas que serão abastecidas pelas ETAs móveis.

Reúso de água cinza

Para a coordenadora do projeto, Íris Tavares, 2018 pode ser resumido como um ano de “muito trabalho, esforço e realizações” por parte da SDA. “Tivemos iniciativas de reúso de água cinza, sobre o trabalho de educação junta às famílias, com manejo para transição agroecológica em que 17.606 famílias passaram por essa discussão, acompanhadas por assessorias técnicas na perspectiva da convivência com o semiárido. Foi desenvolvido também programas de capacitação com juventudes, mulheres, raça e etnia, focada no acesso às políticas públicas, na gestão, produção e organização das famílias”, pontua Íris.

O reuso de água cinza consiste no reaproveitamento das águas originárias do banho, da pia da cozinha e da lavanderia. Rica em resíduos químicos e biológicos ela é direcionada para um filtro onde será tratada através de mecanismos de impedimentos biológicos e físicos. Após esta etapa a água está pronta para ser utilizada na irrigação de fruteiras e hortaliças no quintal das famílias beneficiadas pelo projeto.

A SDA levou oficinas de políticas públicas e temáticas com foco em juventudes, mulheres, raça e etnia nas 600 comunidades, beneficiando cerca de 21.575 famílias do campo, totalizando 69.932 agricultores. São contemplado com ações do Projeto Paulo Freire os municípios de Coreaú, Graça, Sobral, Senador Sá, Moraújo, Massapê, Frecheirinha, Mucambo, Pacujá, Irauçuba (Sobral I), Hidrolândia, Ipú, Pires Ferreira, Reriutaba, Ipueiras, Varjota (Sobral II), Arneiroz, Aiuaba, Tauá, Parambu, Quiterianópolis (Inhamuns) e Assaré, Araripe, Altaneira, Antonina do Norte, Campos Sales, Nova Olinda, Potengi, Tarrafas, Salitre e Santana do Cariri (Cariri Oeste).

Fonte: Ascom / Governo do Ceará