EnglishPortugueseSpanish

N Notícias

Experiências com produção de flores, alimentos, artesanato e até trilhas ecológicas fizeram parte do primeiro dia do Intercâmbio em Turismo Rural na Paraíba

Duas comunidades rurais do município de Areia foram visitadas no primeiro dia do   “Intercâmbio com foco no Turismo Rural no Semiárido –  Conhecer, valorizar e manter o semiárido brasileiro”, que acontece até a próxima sexta-feira (31) no interior do estado. A comitiva com cerca de 25 pessoas de todo o Nordeste conheceu experiências exitosas na região que vem se destacando na producao de diversas culturas e desenvolvimento do turismo local.

No início da manhã, a comitiva participou da abertura oficial do intercâmbio no campus da Universidade Federal da Paraíba. Eles foram recebidos pela gerente de Gestão do Conhecimento do programa Semear Internacional, Aline Martins, e o coordenador do projeto Procase, Aristeu Chaves.

Logo em seguida, o grupo se dirigiu ao sítio Pirauá, para conhecer o projeto Flores Vila Real. Lá a Associação de Mulheres Produtoras de Flores de Areia mostraram como a atividade se desenvolveu e como elas conseguiram comercializar as flores em varias cidades. O grupo é formado por dez mulheres da comunidade, que já conta com estufas adequadas para a produção das flores e assistência de entidades como Sebrae e Universidade Federal da Paraíba ( UFPB)

“Quando a gente resolveu trabalhar com flores não tínhamos nada para investir. Começamos do zero, catando sementes e aprendendo sozinhas as técnicas, que com o passar dos anos e auxílio de várias instituições que foram chegando”, contou Maria Silva, uma das produtoras da Associação.

Após esta visita, o grupo seguiu para o Rstaurante Rural Vó Maria, localizado na comunidade Chã de Jardim. O restaurante faz parte de um verdadeiro complexo turístico  criado pelos próprios agricultores familiares da região, que vai desde o venda de refeições regionais no restaurante, fabricação de polpas de frutas cultivadas pelos produtores locais na Agroindústria, artesanato a base da palha de bananeiras, e trilhas guiadas na mata atlântica existente na região, que incluem oficina com técnicas de produção de mudas e compostagem, e serviços de camping personalizado. Tudo agregando valor turístico interligando todos os serviços.

“A gente sempre busca envolver todos os nossos talentos locais fazendo com que cada pessoa possa ter seu ganho dentro daquilo que sabe fazer. Oferecemos os pacotes interligados pois não queremos que o restaurante tenha lucro sem que os passeios ou a venda de polpas não tenham. Queremos que todos consigam trabalhar com dignidade dentro de nossa comunidade”, disse Luciana Balbino, uma das diretoras do restaurante.

Para a gerente de Gestão do Conhecimento do Semear Internacional, Aline Martins, a intenção deste primeiro dia foi mostrar como atividades que antes podiam parecer de pequeno impacto para o turismo podem transformar a vida daquela pessoas envolvidas. “Hoje cada pessoa viu que não há atividade que, com seriedade e respeito ao meio em que vivemos, não consiga se desenvolver. Todos e todas podem desenvolver a sua região”, destacou.

Para o segundo dia de visitas marcado para a próxima quarta-feira (29), a comitiva conhecerá experiências do município de Boqueirão, no cariri no estado. O evento é uma realização do FIDA e  IICA, através do programa Semear Internacional, em parceria com o Governo do Estado da Paraíba, através do projeto Procase, e a Corporação Procasur.