EnglishPortugueseSpanish

N Notícias

Comunidades apoiadas pelo FIDA na Bahia recebem visitas de comitivas do Encontro de Líderes e Gestores Rurais

O segundo dia do Encontro de Líderes Rurais e Gestores de Projetos FIDA no Mercosul Ampliado foi marcado por visitas a comunidades rurais apoiadas pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), na Bahia. Os participantes se dividiram em quatro grupos para conhecer experiências exitosas em comunidades rurais atendidas pelo projeto Pró-Semiárido, nos municípios de Uauá, Casa Nova, Juazeiro e Sobradinho, na Bahia. Já um quinto grupo foi formado para visitar a sede da Embrapa Semiárido, em Petrolina, Pernambuco.

Em Uauá, as comunidades de Lages das Aroeiras e Testa Branca receberam a comitiva. Os participantes puderam conhecer as unidades de beneficiamento de picolés e sorvetes à base de frutas nativas como umbu e licuri. Além disso, o grupo conheceu as instalações da Coopercuc e conferiu de perto os circuitos de comercialização acessados pela cooperativa.

O grupo que se dirigiu ao município de Casa Nova, visitou o território rural Pastoral do Solo Sagrado, que trabalha com a produção em pequenos quintais produtivos, onde o uso racional da água captada nas cisternas de placas permite que as famílias produzam hortaliças, e forragem para os animais. Eles conversaram com agricultores como Gleidionissio dos Passos Castos, que possui um quintal produtivo em sua propriedade  com várias culturas como cenoura, beterraba, alface, coentro, tomate, rúcula.

“O nordestino se engrandeceu depois das construções das cisternas e do apoio dos projetos para fazer os quintais produtivos. Sou rico demais pois estou salvando minha família dos venenos e assim eu ajudo eles a terem saúde e viverem mais e melhor. Sou rico por isso”, disse o agricultor durante a visita da comitiva.

Em Sobradinho, a visita proporcionou ao grupo uma vivência em assentamentos que estão iniciando o processo de transição para a produção agroecológica. Eles conheceram o Assentamento Fonte de Vida que já têm uma produção orgânica consolidada. Lá, os quintais produtivos, a criação de galinhas e acerola orgânica foram algumas dos destaques da visita. No Assentamenmto vale da conquista, eles conheceram a agricultora Nilda Santos, que deixou a cidade para cultivar seu próprio quintal produtivo em casa . “Eu não penso em voltar para a cidade. Aqui na minha terra eu nem vejo o tempo passar. Cuido de minha horta, de meus animais e vivo feliz da vida”, disse.

Na cidade de Juazeiro, as visitas ocorreram no distrito de Massaroca  onde os participantes puderam conhecer a tecnologia de reuso de água (bioagua) que capta água da pia e do chuveiro para pregar as plantas. Eles também visitaram o entreposto de ovos que é um empreendimento certificado com o Selo de Inspeção Municipal (SIM) e o campo de produção de forragem comunitário, ensaio forrageiro agroecológico.

O grupo que visitou a sede da Embrapa Semiárido conheceu as inovações que estão sendo desenvolvidas pelos pesquisadores da Embrapa para melhorar a produção da agricultura familiar. Entre os experimentos, destacam-se a unidade produtiva de produção familiar que viabiliza produção diversificada com uso de pouca água, a domesticação de espécies da caatinga de uso sorrateiro, a experimentação com frutos nativos da caatinga, como umbu e maracujá-do-mato e a produção de pera irrigada no Vale do São Francisco.

Para Josilene Magalhães, coordenadora do Projeto Dom Helder Câmara (PDHC) a visita à Embrapa Semiárido possibilitou o conhecimento sobre as várias possibilidades de se produzir com pouca água. “A gente teve a oportunidade de conhecer experiências e pesquisas que a Embrapa Semiárido faz e que pode proporcionar melhor qualidade de vida para o produtor rural a partir do uso dessas tecnologias considerando principalmente o uso racional da água”, disse.

Reportagem:

Elka Macêdo e Diovanne Filho