EnglishPortugueseSpanish

B Boas Práticas na Convivência com o Semiárido

Organização Comunitária
PROTAGONISMO E FORTALECIMENTO DA JUVENTUDE RURAL – Comunidade São João De Sene – Piauí

Lucas José da Costa, um jovem de 23 anos, no município de Tanque do Piauí, viu surgir uma nova esperança a partir da aprovação do Plano de Investimento Produtivo – PIP, em apoio às 15 famílias de sua comunidade, no âmbito do Projeto Viva o Semiárido (PVSA).

Sua pouca idade não o impediu de ser eleito Presidente da Associação dos Produtores Rurais de São João de Sene e encarar a importante mas desafiadora missão de reerguer a associação, que se encontrava formalizada porém fragilizada

Por meio do PVSA, Lucas pode participar de intercâmbios em outras comunidades apoiadas pelo projeto, que contribuíram para melhorar seus conhecimentos na produção de caprinos, que considerava insuficientes em termos de técnicas produtivas e estrutura ideal dos apriscos.  Mas a aprendizagem foi muito além das questões produtivas.

Um dos seus principais ganhos foi participar de uma capacitação em gestão financeira e prestação de contas, que, segundo Lucas, lhe trouxe não apenas novos conhecimentos, mas também lhe permitiu estar em contato com novas pessoas e ampliar a sua visão de oportunidades para o presente e o futuro. Além disso, permitiu associação da qual é sócio ganhar mais autonomia e solidez para que esteja habilitada a acessar outros projetos e políticas públicas.

Ao relatar sobre as mudanças que já estão ocorrendo na comunidade, Lucas fala com orgulho da chegada de novos associados, a perspectiva do aumento da produção e da melhoria na renda das famílias, que projeta em pelo menos 50% em relação ao montante atual, que gira em torno de R$ 300,00/mês, somente com a criação e comercialização dos caprinos.  Outro resultado positivo que contribui para aumentar a renda, se refere à redução nas perdas de animais, devido a ataques de predadores, tais como onças e cachorros, graças à construção dos apriscos com o

apoio do PVSA, projetados para abrigar, cada um deles, as 10 matrizes e 01 reprodutor, recebidos por cada família beneficiária do plano. A assistência técnica realizada pela EMPLANTA, empresa local de assessoria técnica também foi destacada como um apoio fundamental para os avanços já registrados, que tem sido possível por meio da parceria deste órgão junto ao PVSA.

Para o futuro, Lucas continua sonhando, sabendo que os pés estão bem firmes no solo de uma comunidade que tem se unido em prol do bem de todos, e já planeja diversificar as fontes de renda e inserir a produção de mel na comunidade, pois sabe que na região tem uma área de florada muito propícia para esta criação.